Servidores municipais de Joinville fazem paralisação nesta segunda-feira

Principal reclamação é a falta de fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)

0
14

Servidores municipais da Subprefeitura Sul suspenderam as atividades na manhã desta segunda-feira em Joinville. A paralisação acontece como forma de protesto, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej), pela falta de fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e uniformes. A manifestação começou às 7 horas.

As principais reclamações são falta de luvas, perneiras, aventais, óculos de proteção e uniformes. Além disso, não há reposição de instrumentos de primeira necessidade, como máquinas roçadeiras. Segundo o Sinsej, a única manutenção realizada é feita por iniciativa e com ferramentas dos próprios servidores.

De acordo com o servidor Elieser de Freitas, o protesto conta com a participação de cerca de 20 colaboradores, do turno da manhã e da tarde. Ele trabalha na Prefeitura Municipal há 12 anos. O trabalhador observa que há, pelo menos, quatro anos não existe reposição regular dos equipamentos de proteção e demais instrumentos de trabalho.

— A nossa ocupação tem sério risco de acidente, principalmente risco biológico. Por isso, a utilização da luva é essencial — afirma.

Os servidores são responsáveis por cuidar da manutenção e limpeza do sistema viário, da rede de drenagem, esgoto e espaços públicos de oito bairros da zona Sul da cidade. As luvas e perneiras são equipamentos essenciais para exercer as funções com segurança. De acordo com o Sinsej, outras subprefeituras também estariam enfrentando a mesma situação.

Conforme o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, a extinção dos cargos desses servidores impacta na falta de investimento nestes postos de trabalho. Para o presidente, a lógica é não investir, permitir a deterioração dos equipamentos, não fornecer condições de trabalho nem repor pessoal, para progressivamente entregar os serviços à iniciativa privada.

— Há anos estes trabalhadores convivem com a destruição do seu local de trabalho e função, com a extinção de cargos, terceirização dos serviços e abandono — assegura.

Em nota, a Prefeitura de Joinville informou que teve reunião com servidores e representantes do Sindicato dos Servidores e que serão prestados os esclarecimentos sobre os processos de compras em andamento dos equipamentos de segurança e outros materiais. As informação serão repassadas aos servidores e sindicato.

Após serem atendidos pelo secretário Afonso Fraiz, na Prefeitura, a categoria realizou uma assembleia. Na reunião ocorrida no final da manhã, ficou definido que os servidores manterão as atividades suspensas até que a situação seja resolvida.